14. Perdão

28/10/2011 18:44

Tenha piedade de mim, Senhor, pois sou frágil e pecador! Só o Senhor é o verdadeiro perdão e misericórdia!

Perdoar é doar a dignidade que o outro perdeu.

É a medida suprema do amor

É a capacidade de se dar e de recomeçar tudo novamente

É a manifestação profunda da graça de Deus em nós

É luz do Espírito que nos move

É amor incomensurável do Pai que nos acolhe

É Redenção do Filho que nos lava com o seu sangue.

Pedir perdão – colocar-se de joelhos humildemente perante o outro e assumir a ofensa praticada

Perdoar é dar vida a quem nos ofendeu

É curar o coração ferido numa atitude de alegria pascal

É transcender o limite e buscar a conversão a cada dia.

É tornar-se profundamente livre perante a Deus, a si mesmo e o outro.

É busca sincera

É banquete!

É festa!

É dança!

É ter coragem de ser redentor

É dar tempo ao tempo e acreditar na mudança interior e no desejo de conversão

É ter a ilimitada paciência redentora de reerguer o outro para que descubra o valor de ser perdoado

É profundo encontro de um Eu e de um Tu com o Tu Absoluto – Deus

É partilha, comunhão de vida!

É ato de fé em mim e de acreditar no outro

É virtude de amor: amá-lo tal como ele é

É esperança: acreditar em mim que posso perdoar e no outro que é capaz de transcender suas forças

É virtude dada a poucos

É sabedoria do coração

É assumir para si no dia-a-dia o Cristo misericordioso

Que perdoou até na dor da cruz

É sempre dizer com o coração: Pai, eu perdôo este irmão por que ele não sabe o que faz! Mas hoje mesmo ele estará comigo no Paraíso!

 

Para meditação:

Eclo 28, 1-7

Eclo 36, 1

Sl 51 (50)

Lc 11, 4

Lc15, 11-32

Mt 5, 23-26

Mt 6, 12-15

Mt 9, 3-7Mt 18, 21-35