24. Nada consigo dizer de Ti

10/10/2013 12:32

És o vento impetuoso que sopra onde quer.

És a vitalidade de todas as coisas,

Criatividade que rompe a monotonia

És o amor que procede do Pai e do Filho

És o inefável,

O sem lugar que habita todos os lugares.

Habita os Cosmos e o fecunda

És o incognoscível mistério

Revelado no amor e na santidade.

És doação total, unidade plena

Continuidade pascal na história

És Deus no humano.

De ti nada posso dizer, porque és liberdade plena.

Não estás fechado em nossas categorias intelectuais abstratas.

És a luz que rompe as trevas humanas

És puro dom que santifica e plenifica

És a vida nova no Pai e no Filho

És o provocador de crise,

Da busca de novos caminhos, da verdade.

Estás presente no mundo e não te vemos.

És ausência-presente, saudade do eterno, que não se pode tocar.

És o Definido Indefinido que muda o imutável da História

És o plenamente ser que penetra a ausência do ser e a faz ser.

És o Santo, o puramente Santo

Não és o reservado, mas plenamente sem reserva!

Estás em todos os lugares: nos quatros cantos da terra.

És presença

És a presença que ausenta quando se conceitua nos limites da razão.

E não escapas, não foges quando te experimentas com o coração aberto.

És movimento constante que inquieta, incomoda os acomodados

És o jeito novo de falar de Deus,

Es a nova maneira de compreender a vida

És o fomentador da História

És a atualização da memória pascal.

Não há nada que posso falar de ti

Mas posso dizer que habitas em mim.

És a minha vida

És tu que um dia me levarás a conhecer o Pai e o Filho

Não como neblina

Face a face.

És tu mesmo que um dia permitirás compreender-te

És tu que rompe com os meus limites

Convidas-me ao amor pleno

E ao amanhecer a cada dia

Olhar o sol, as flores, os sofredores

E a não perder a esperança

És para sempre meu Consolador

Desde o dia que nasci de ti

És o que nada consigo dizer de ti

És o Santo Espírito, o Espírito Santo...