6. “Há tempo para tudo...”

04/04/2011 13:52

Em nossa vida, há tempo para tudo. Talvez, se ele não existisse para nós, simples mortais, tudo seria um caos.

Nossa vida é dirigida pela ditadura do pêndulo de um simples relógio, embora o relógio seja feito para o tempo e não o tempo para o relógio. Mas, a cada ida e vinda desse pêndulo, já não somos mais os mesmos, tudo muda, inclusive o tempo...

“Há tempo para plantar e para colher,

Há tempo para sorrir e para chorar,

Há tempo para falar e tempo para calar,

Há tempo para amar e tempo para odiar,

Há tempo para procurar e tempo para perder,

Há tempo para abraçar e tempo para separar,

Há tempo para nascer e tempo para morrer.”

Há tempo para ensinar e aprender!

E há tempo de se aprender com o tempo...

Há tempo para se sentir cada gota da vida e saborear cada minuto vivido.

Arrepender-se pelos momentos perdidos

E buscar no tempo, fora do tempo que nunca é tarde para recomeçar!

Há o tempo de crescer e buscar novos desafios!

Tempo de ser o que se é, reinventando cada dia a vida,

Vencendo a morte causada pela monotonia,

Obscurecendo o brilho que permite iluminar o tempo,

O tempo que nos leva a meditar que o mistério da vida

É uma longa história sem fim!

Há tempo para si mesmo, para o outro e para Deus!

Há tempo para morrer e tempo para ressuscitar.

Mas e após a ressurreição? Não há mais tempo, nem a sua matematização. Só há Deus e a Eternidade que se tornam uma única dimensão, Deus, pois Ele é a Eternidade!

Portanto, para aqueles que morrem já não existe mais o tempo, mas sim a Eternidade que é constituída pelo Eterno amor, pelo Supremo Bem, o Deus que acreditamos, que é o Deus da Vida e da Esperança.

Para meditação:

 
Ecl 3, 1-8

Eclo 41, 1-4

 

- Você já reservou um tempo a si mesmo para meditar sobre a sua vida?